resumo

Aurélio lembra das histórias que ouviu sobre os seus avós. Conta que perdeu a mãe muito cedo e discorre sobre sua trajetória educacional. Quando estudante da Universidade de Brasília, foi admitido como professor, por concurso, na Fundação Educacional do Distrito Federal, começou a militar no Partido Comunista Brasileiro e acompanhou de perto a formação da Associação dos Professores do Distrito Federal, quando conheceu Olímpio Gonçalves Mendes. Acompanhou a greve de 1979, convocada pouco depois da constituição do SINPRO-DF. E especula sobre o futuro da educação no Brasil.

história

Meu avô, se eu fosse um bom escritor, eu faria um livro sobre ele. Ele era um cara fora do comum: nasceu em 1800 e qualquer coisa, e naquela época ele já era antimonarquista, era republicano, antiescravagista, era um cara super progressista. Ele dá uma história perfeita. Agora a minha avó era ...Continuar leitura



imagens (3)

get_date(); ?>

Família

data (ou período): Ano 2016 Imagem de:Aurélio Anchises RIbeiro de Souza

get_date(); ?>

Filhos

data (ou período): Ano 2016 Imagem de:Aurélio Anchises RIbeiro de Souza

get_date(); ?>

Netos

data (ou período): Ano 2016 Imagem de:Aurélio Anchises RIbeiro de Souza

fechar

Família

Na foto estão seu Aurélio com seus filhos, filhas, noras, genro e netos.

período: Ano 2016
local: Brasil / Distrito Federal / Brasília
tipo: Fotografia
Palavras-chave:

Filhos

Da esquerda para a direita, Nara (filha), Aurélio, Renan (filho), Ivan (filho) e à frente Marina (filha).

período: Ano 2016
local: Brasil / Distrito Federal / Brasília
tipo: Fotografia
Palavras-chave:

Netos

Aurélio e os netos: Pedro (com a camisa do Flamengo), Ruan e Julie.

período: Ano 2016
local: Brasil / Distrito Federal / Brasília
tipo: Fotografia
Palavras-chave:

história na íntegra


opções da página