resumo

Conhecido como Dário Alegria, Jurandir Dário Gouveia Damasceno, narra a origem de sua família, dos quilombos de Paracatu. Seu pai, um sanfoneiro muito conhecido, fazia de tudo pela cidade – era artesão, tinha um armazém –, além de lutar pela manutenção das tradições de seu povo, com a criação de um clube. Desde pequeno, Dário aprendeu a tocar para acompanhar o pai. Aos 14 anos, por conta de uma promessa feita ao pai, no leito de morte, cuidou da família – de sua mãe e seus oito irmãos. De um jogo na cidade, Dário ingressou no futebol de Brasília, onde chegou a trabalhar como servente de pedreiro na construção da nova capital. De lá, partiu para novos desafios no futebol profissional. Com muitos gols, títulos e parcerias importante, Dário se aposentou do esporte com um pouco mais de 30 anos e regressou para sua cidade natal. Lá, em Paracatu, mobilizou o movimento negro para o reconhecimento dos quilombos de Minas Gerais. Além disso, como seu pai, tem exercido diversas atividades.

história

O nome completo é meio grande: Jurandir Dário Gouveia Damasceno, esse nome nunca foi nem ventilado no futebol, ficou Dário Alegria, e eu nasci em Paracatu. Minha mãe nasceu no São Domingos, meu pai nasceu numa outra comunidade quilombola, que chama Buriti do Costa, é lá do outro lado da cidad...Continuar leitura



história na íntegra


opções da página