resumo

Em seu depoimento, Dona Amélia nos conta a história de sua família, a começar por seus avós, seu pai que foi um imigrante argentino, e sua mãe, natural da região de Porto Velho. Amélia também nos conta sobre sua infância em meio à vida rural, montaria de cavalos, vacas, bois e um tanto de trabalho na roça. Sobre este período sabemos sobre a separação de seus pais, quando Amélia tinha 13 anos, sua ida a escola e o aprendizado de corte e costura com a velha máquina de sua mãe, ofício que levaria consigo por toda a vida. Além disso, vemos como foi seu casamento, em 1952, e a odisséia por Rio Brilhante, Campo Grande, Jaci-Paraná e Porto Velho, acompanhando seu marido que trabalhava em obras destas cidades. Podemos nos emocionar com a criação de seus filhos, seu reencontro com o pai a beira da morte, a história de Alírio - seu irmão adotivo, o perigo da malária em Jaci-Paraná e sua atual militância pelo grupo de idosos e a Associação das Mulheres. Costurando entre os percalços da vida, tudo parece muito curto para Dona Amélia.

história

Ninguém sabia dessas coisas de higiene nesse tempo. Mesmo Porto Velho ainda tinha muito mato dentro da cidade, era uma cidade muito suja. O esgoto corria no meio da rua, era uma cidade fedida, uma cidade ruim. Tanto que larguei tudo, vendi tudo e fui embora. Também não aguentei mais a malária, p...Continuar leitura



história na íntegra


opções da página