Gol de Letra: 10 anos de uma história real

Compartilhar:

Ano: 2010

Baixe a publicação – (PDF) 8MB

Diante de uma data emblemática como os dez anos da Fundação Gol de Letra – que já fez tantas coisas, realizou tantos sonhos e cada vez mais se torna referência no Terceiro Setor e em Educação no Brasil –, é fundamental criar formas de olhar para trás, para o presente e, só então, para o futuro.

Para colaborar com a Gol de Letra nesse vultoso exercício, ao longo de 2009, o Museu da Pessoa aliou um trabalho de pesquisa direta em seus arquivos – que incluiu o levantamento de documentos, publicações, projetos e relatórios produzidos pela Fundação – com a realização de 29 entrevistas de história de vida.

Atuais e antigos colaboradores de São Paulo e do Rio de Janeiro, assim como voluntários, parceiros, fornecedores, gente das comunidades atendidas e ex-alunos contaram sua trajetória ao Museu da Pessoa. Além das entrevistas, centenas de depoimentos também foram colhidos por meio dos folders da Campanha “Minha História com a Gol de Letra”. Seja pelos folders, seja pelas entrevistas, cada pessoa compartilhou suas memórias ligadas à Gol de Letra, possibilitando que a história da Fundação fosse registrada a partir das próprias vozes que a construíram. Esta publicação consiste em uma das leituras possíveis a se fazer a partir do riquíssimo material coletado. Sua proposta é levar o leitor a um verdadeiro passeio pelas histórias das pessoas, de forma que cada trecho, ligado ao seguinte, remonta cronologicamente a trajetória da Fundação, entre o sonho, todos os passos para torná-lo real até chegar aos dias atuais.

A evolução dos capítulos sugere uma metáfora da própria história da Fundação. O primeiro capítulo é o “Sonho” que, aos poucos, saiu do plano das ideias até ir para o papel e se tornar uma “História Real”, que é o segundo capítulo. Aos poucos, esse projeto foi colocado em prática, foi recheado – a fase de “Construção do Enredo” propriamente dita é o capítulo 3. Como em qualquer enredo, os percalços e as dificuldades existem, até para torná-lo mais consistente – é a “Trama e Seus Nós”, penúltimo capítulo. Por fim, o “Sonho Vivo”, como uma espécie de mural, onde há espaço para um balanço do que foi vivido até aqui e, indissociáveis desse passado, as expectativas para o futuro. Pela própria estrutura, que congrega passado e futuro, esse último capítulo reafirma um princípio do Museu da Pessoa, e da própria Gol de Letra, ao optar por fazer um trabalho de memória: é a reflexão sobre o passado que nos diz quem somos e que caminhos percorrer para tornar nossos sonhos vivos. Gol de Letra – 10 anos de uma história real espelha a razão de ser do Museu da Pessoa, que trabalha para coletar, registrar e disseminar histórias de vida, por acreditar que são essenciais para a construção da memória social.

Conheça o projeto