Ano 1940

A mãe de Bituca

data (ou período): Ano 1940 Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1940

Recém casada

data (ou período): Ano 1940 Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1967

Barriga cheia de orgulho

data (ou período): Ano 1967 Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1967

Homenagem a Bituca na Câmara Municipal

data (ou período): Ano 1967 Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1990

Entrevista para o Jacaré

data (ou período): Ano 1990 Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1950

Família adotiva de Milton Nascimento

data (ou período): Ano 1950 Imagem de:Josino de Brito Campos

Sem informação de data

A rádio de Josino

data (ou período): Sem informação de data Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1997

Amigos do coração

data (ou período): Ano 1997 Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1930

O pai do Bituca

data (ou período): Ano 1930 Imagem de:Josino de Brito Campos

Sem informação de data

Cartão de Milton para os pais - Frente

data (ou período): Sem informação de data Imagem de:Josino de Brito Campos

Sem informação de data

Cartão de Milton Nascimento para os pais - Verso

data (ou período): Sem informação de data Imagem de:Josino de Brito Campos

Ano 1970

Um bom amigo a casa torna

data (ou período): Ano 1970 Imagem de:Helson Romero de Campos Souza

Sem informação de data

Meio século de Milton Nascimento

data (ou período): Sem informação de data Imagem de:Helson Romero de Campos Souza

Ano 1972

Som Imaginário

data (ou período): Ano 1972 Imagem de:Wagner Tiso

Ano 1975

Disco "Minas"

data (ou período): Ano 1975 Imagem de:Wagner Tiso

Ano 1960

Futebol entre amigos

data (ou período): Ano 1960 Imagem de:Wagner Tiso

fechar

A mãe de Bituca

Lilia Silva Campos, mãe adotiva de Milton Nascimento. Neste jardim, Lilia encostava-se esporadicamente com seu namorado e futuro marido, Josino de Brito Campos, mas diariamente eles se falavam ao telefone. Mãe adotiva de Milton Nascimento, Lilia e Zino tiveram mais três filhos, sendo três, incluindo Milton, adotivos e uma, Jaceline, filha biológica. Lilia teve grande importância na carreira musical de seu filho Bituca, foi aluna de Heitor Vila Lobos no Rio de Janeiro e passava sua experiência e musicalidade para seu filho.

período: Ano 1940
local: Brasil / Rio De Janeiro / Rio De Janeiro
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

Recém casada

Na foto, Lília e seu cachorro, Boy, na casa da rua Sete de Setembro, logo após ter se casado com Josino. Mãe adotiva de Milton Nascimento, Lilia e Zino tiveram mais três filhos, sendo três, incluindo Milton, adotivos e uma, Jaceline, filha biológica. Lilia teve grande importância na carreira musical de seu filho Bituca, foi aluna de Heitor Vila Lobos no Rio de Janeiro e passava sua experiência e musicalidade para seu filho.

período: Ano 1940
local: Brasil / Minas Gerais / Três Pontas
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

Barriga cheia de orgulho

Bituca (na cabeceira da mesa) entre vários amigos e admiradores de seu trabalho, em jantar em sua homenagem por ocasião da colocação da música “Travessia” no 2.º FIC. Milton Nascimento participou do Festival Internacional da Canção, o 2.º FIC, em 1967, faturando o segundo lugar e o prêmio de melhor intérprete com "Travessia", música sua e de Fernando Brant. Gravou o primeiro disco nesse mesmo ano, viajando em seguida para os Estados Unidos, onde grava "Courage", em 1968. A partir daí gravou discos que marcaram época, como "Milton", "Minas", "Gerais" "Milagre dos Peixes" e os dois volumes de "Clube da Esquina", que acabaram intitulando toda a geração mineira emergente; Lô Borges, Beto Guedes, Toninho Horta, Wagner Tiso, Nivaldo Ornellas, Nelson Ângelo, Tavito e outros.

período: Ano 1967
local: Brasil / Minas Gerais / Três Pontas
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

Homenagem a Bituca na Câmara Municipal

(esq.dir) O pai, Josino, Bituca, a mãe, Lilia, e a irmã, Jaceline, em Homenagem a Bituca na Câmara Municipal por ocasião da colocação da música “Travessia” no 2.º FIC. Milton Nascimento participou do Festival Internacional da Canção, o 2.º FIC, em 1967, faturando o segundo lugar e o prêmio de melhor intérprete com "Travessia", música sua e de Fernando Brant. Gravou o primeiro disco nesse mesmo ano, viajando em seguida para os Estados Unidos, onde grava "Courage", em 1968. A partir daí gravou discos que marcaram época, como "Milton", "Minas", "Gerais" "Milagre dos Peixes" e os dois volumes de "Clube da Esquina", que acabaram intitulando toda a geração mineira emergente; Lô Borges, Beto Guedes, Toninho Horta, Wagner Tiso, Nivaldo Ornellas, Nelson Ângelo, Tavito e outros.

período: Ano 1967
local: Brasil / Minas Gerais / Três Pontas
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

Entrevista para o Jacaré

Helson Romero, ou Jacaré, como é chamado pelos amigos trespontanos, é amigo de infância de Bituca. Na foto, Milton Nascimento e Tereza da Quitéria estão na praça Catumbí em Três Pontas concedendo uma entrevista ao amigo jacaré, que na época trabalhava no departamento de comunicação da prefeitura.

período: Ano 1990
local: Brasil / Minas Gerais / Três Pontas
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

Família adotiva de Milton Nascimento

Foto de decoração da família de D. Lilia Silva Campos, mãe adotiva de Milton Nascimento. Bituca, como é chamado por sua família adotiva, mudou-se para Três Pontas ainda criança e mesmo tendo nascido no Rio de Janeiro, é considerado um ícone da música mineira. À frente – Edgard de Carvalho Silva, D. Augusta. Ao lado – Milton Nascimento e familiares de Três Pontas.

período: Ano 1950
local: Brasil / Rio De Janeiro / Rio De Janeiro
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

A rádio de Josino

José de Brito Campos na rádio de seu irmão Josino. Josino, pai adotivo de Milton Nascimento, desde criança foi apaixonado por mecanismos diversos. Aos sete anos desmontou um relógio do pai no intuito de montá-lo novamente e entender como era seu funcionamento. O relógio nunca mais funcionou. Seu Josino não desistiu de seu sonho e montou uma rádio em Três Pontas, Minas Gerais, onde trabalhou Milton Nascimento e até seu irmão José, como mostra a foto. Esta rádio foi responsável pela divulgação de muitos músicos mineiros iniciantes que hoje são ícones da música brasileira.

local: Brasil / Minas Gerais / Três Pontas
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

Amigos do coração

Sebastião Gonçalves (Dida) e Tereza da Quitéria, amigos da família de Milton Nascimento. Tereza trabalhou na casa de S. Zino e D. Lilia, ajudando a criar os filhos do casal, inclusive Milton Nascimento, que hoje guarda enorme afeto por ela. Dida também é amigo da família e hoje vive em Santos, mas sempre que pode faz uma visita a Três Pontas.

período: Ano 1997
local: Brasil / Minas Gerais / Três Pontas
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

O pai do Bituca

Retrato de Josino de Brito Campos, pai de Milton Nascimento. Seu Zino, como é conhecido, e D. Lilia são pais de quatro filhos, sendo três deles adotivos e apenas uma filha biológica que se chama Jaceline. Milton Nascimento, nascido no Rio, foi para Três Pontas (MG) com menos de dois anos de idade, na companhia dos pais adotivos. Portanto, mesmo sendo carioca, tornou-se conhecido como o principal responsável pela projeção da moderna música de Minas Gerais.

período: Ano 1930
local: Brasil / Minas Gerais / Lambari
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Fotografia

Cartão de Milton para os pais - Frente

Milton Nascimento se encontra na Noruega e manda lembranças aos pais em Três Pontas. Fala do encanto do famoso Sol da Meia Noite.“alô. Em Plena Noruega, onde existe até o Sol da Meia Noite (não escurece nunca), encontrei um cartão e me lembrei de certas pessoas. D. Lilia esteve aqui e não avisou pra gente? Tá tudo bom aqui, espero que aí também. Seguimos cantando. Beijos, Bituca ”

local: Noruega
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Documento

Cartão de Milton Nascimento para os pais - Verso

Milton Nascimento se encontra na Noruega e manda lembranças aos pais em Três Pontas. Fala do encanto do famoso Sol da Meia Noite.“alô. Em Plena Noruega, onde existe até o Sol da Meia Noite (não escurece nunca), encontrei um cartão e me lembrei de certas pessoas. D. Lilia esteve aqui e não avisou pra gente? Tá tudo bom aqui, espero que aí também. Seguimos cantando. Beijos, Bituca ”

local: Noruega
história: Um pai de coração
crédito: Josino de Brito Campos
tipo: Documento

Um bom amigo a casa torna

Visita à casa do amigo de Três Pontas, o Dida. Wagner Tiso, Dida, N.I, Jacaré, Bituca e Marcão, filho do Dida. O fã clube de Milton Nascimento em Três Pontas, Minas Gerais, é coordenado por seu primo e amigo, Hélson Romero, o Jacaré. Jacaré é sobrinho de S. Josino, pai adotivo de Milton Nascimento. Estudou piano com Walda Tiso, mãe dos músicos Wagner e Gileno Tiso, mas optou por não seguir carreira na música.

período: Ano 1970
local: Brasil / São Paulo / Santos
história: Clube do Pensionato
crédito: Helson Romero
tipo: Fotografia

Meio século de Milton Nascimento

Waguinho, Bituca, Hamilton, Jacaré e Vicente Bastos no aniversário de 50 anos de Milton Nascimento.

local: Brasil / Rio De Janeiro / Rio De Janeiro
história: Clube do Pensionato
crédito: Helson Romero
tipo: Fotografia

Som Imaginário

Wagner Tiso durante o intervalo de uma apresentação com Som Imaginário. No final de 1969, Wagner forma a pedido de Bituca, um novo grupo com Luiz Alves e Robertinho Silva, que posteriormente ganha a participação dos músicos Tavito, Zé Rodrix, Laudir de Oliveira e Frederico, e passa a se chamar "Som Imaginário", nome derivado do show "Milton Nascimento…Ah E o Som Imaginário", do qual haviam participado. Com este grupo, grava 3 LPs “Som Imaginário 1 e 2” e “A Matança do Porco”. Discos conceituais que exploram, principalmente em “A Matança do Porco”, a música instrumental, mesclando samba, jazz e sintetizadores e guitarras progressivas. Destaque para as música “A Matança do Porco” e “Mar Azul”.

período: Ano 1972
local: Brasil / São Paulo / São Paulo
imagem de: Wagner Tiso
história: O Wagner é único
crédito: Wagner Tiso
tipo: Fotografia

Disco "Minas"

Na fotografia, Wagner Tiso rege a orquestra na gravação do Disco “Minas” do seu amigo e parceiro Milton Nascimento, com quem iniciou sua vida musical.

período: Ano 1975
local: Brasil / Rio De Janeiro / Rio De Janeiro
imagem de: Wagner Tiso
história: O Wagner é único
crédito: Wagner Tiso
tipo: Fotografia

Futebol entre amigos

Wagner Tiso e Milton Nascimento jogando futebol.

período: Ano 1960
local: Brasil / Minas Gerais / Alfenas
imagem de: Wagner Tiso
história: O Wagner é único
crédito: Acervo Pessoal
tipo: Fotografia